Blog
Útimo post

De onde vêm os termos "carioca" e "gaúcho"?
Os termos brasileiros que definem origens regionais sem fazer referência direta à região nasceram por diferentes motivos. O mais comum é a influência de outras línguas que conviveram com o português ao longo da história do país, como o tupi e o espanhol platino - falado na região do rio Prata, divisa entre Argentina e Uruguai. Mas existem outras razões. Até mesmo hábitos alimentares e fardas militares ajudaram a dar nomes curiosos para cidadãos dos lugares citados abaixo. Confira: Barriga-verde - Faz parte da tradição cultural de Santa Catarina dizer que as pessoas nascidas no estado são chamados de barrigas-verdes por causa do hábito de beber erva-mate. Para os historiadores, porém, o nome vem do colete verde usado pelos soldados de um batalhão de fuzileiros catarinenses, criado pelo brigadeiro Silva Pais no século XIX. Gaúcho - A origem da palavra é incerta. Ela existe também na língua espanhola e supõe-se que tenha nascido na região platina, entre o Uruguai e a Argentina, para designar os habitantes das zonas rurais que se dedicavam à criação de gado nos pampas. Os moradores do Rio Grande do Sul teriam herdado o apelido pela proximidade com os dois países. Carioca - O termo vem de duas palavras tupi: kara’iwa ("homem branco") e oka ("casa"), que, juntas, significam "casa do homem branco". Os índios passaram a usar a expressão logo após a fundação do Rio de Janeiro, para se referir à cidade. Como apelido para os moradores, o termo só começou a ser usado a partir do século XVIII. Capixaba - Quem nasce no estado do Espírito Santo recebe esse nome por influência da língua tupi, na qual kapixaba significa "terra de plantação". O motivo é que havia, na região, muitas roças que abasteciam de alimento as tribos indígenas locais. Soteropolitano - É incrível, mas o nome de quem nasce na capital baiana vem do grego! Nessa língua, soter significa "protetor" ou "salvador", enquanto polis quer dizer "cidade". Potiguar - O termo para quem nasceu no Rio Grande do Norte, assim como suas variantes "pitiguar" e "pitiguara", também vem da língua indígena tupi. A palavra original Poti’war significa "aquele que come camarão", crustáceo encontrado com fartura no litoral do estado. Fonte: Mundo Estranho

  Por: Adm   1- Comentarios
Ole1 amigas e aigmos dos livros!Estarei no Sale3o do Livro FNLIJ que comee7a dia 19 de abril no Rio de Janeiro, adoraria tem um retorno sobre meu trabalho de ilustrae7e3o no Agapinho . Quem for ire1 curtir muito essa festa litere1ria que e9 a mais importante da Ame9rica Latina voltada pata o leitor mirim! Beijos, ate9 le1!

Por: QalOjnhTSEvexfhng



Tópicos de Dezembro
 

Ano-novo ou ano novo?

Talvez você nunca tenha recebido um cartão de ano-novo certinho. Eu, pelo menos, nunca tive essa satisfação. A verdade é que ano-novo (o ano entrante; o próximo ano; a meia-noite do dia 31 de dezembro) deve ser grafado com hífen. Trata-se de uma figuração, e o tracinho serve para sugeri-lo. Os bons dicionários e o próprio Vocabulário da Academia Brasileira de Letras estão aí para confirmar. (Extraído do livro: Todo Mundo Tem Dúvida, Inclusive Você; Autor: Édison de Oliveira; Editora: Sagra Luzzato) Veja o que temos no Dicionário Aurélio sobre ano-novo: 1. O próximo ano; o ano entrante: “Estamos com sono, vamos dormir. Damos boa noite, bom ano-novo, eu abraço meu tio.” (Ricardo Ramos, Matar um Homem, p. 168.) 2. A meia-noite do dia 31 de dezembro; ano-bom. 3. O dia 1º de janeiro; ano-bom. [Pl.: anos-novos.] Importante notar que na primeira acepção, o próximo ano, refere-se a todo o ano, pois ninguém deseja "bom ano-novo", como está no exemplo do dicionário, pensando só no dia 31 de dezembro ou em primeiro de janeiro. (do site: portuguesnarede.com) Visto isso, um feliz natal e um próspero ano-novo!

  Por: Adm  Postado: 9/12/2010 00:00:00   1 - Comentários



 
 
 
 








 
Login
 
Senha